Fundada em 25 de Novembro de 2005, a Associação Portuguesa dos Bombeiros Voluntários (APBV) foi oficialmente instituída por escritura pública realizada a 1 de Fevereiro de 2006

Pretende-se, com esta breve apresentação, dar a conhecer o escopo primeiro desta Associação que visa, naturalmente, congregar e representar os Bombeiros Voluntários de Portugal, sem esquecer os seus dirigentes.

Assim, e apesar da sua ainda curta existência, já teve esta Associação o grato prazer de ser recebida por Sua Excelência o Presidente da República e por Sua Excelência o Presidente da Assembleia da República a quem fez a entrega de uma petição para a alteração, há muito desejada e reclamada, do Estatuto Social do Bombeiro.

Foram-lhe igualmente concedidas audiências pelo senhor Secretário de Estado da Protecção Civil, pelo Presidente do ex-SNBP e pelo actual Presidente da ANPC, oportunidades estas para a entrega de algumas propostas de alteração com vista à melhoria, aperfeiçoamento e enriquecimento de muitos aspectos que se prendem com esta área de actuação.

Além de outras iniciativas que não cabe aqui enumerar, destaque ainda para a entrega, junto Ministério da Administração Interna (MAI), de um conjunto de contributos e ideias para a legislação sobre bombeiros e da protecção civil.

Neste sentido, e na perspectiva dum Associativismo pleno e reforçado, pautaremos sempre a nossa conduta e actuação pelos princípios da solidariedade, da lealdade, da honra, do rigor e da verdade, sem nunca abdicarmos do caminho que escolhemos trilhar.

APBV tem por objecto social:

§    Associação civil sem fins lucrativos;

§    Representante interna e externa dos associados;

§    Representante dos interesses dos associados e da defesa do código deontológico da classe dos Bombeiros Voluntários;

§    Representante da classe e dos associados junto dos Órgãos da Tutela;

§    Representante da classe e dos associados perante o poder local, regional e central.

 

APBV tem as seguintes finalidades:

§   Congregar e representar os Bombeiros Voluntários de Portugal;

§   Promover a dignificação e identidade dos Bombeiros Voluntários Portugueses;

§   Representar interna e externamente os respectivos associados na defesa dos seus interesses estatutários, sociais e deontológicos;

§   Tomar parte na definição do Estatuto de Bombeiro e nas condições do exercício da sua actividade;

§   Formular em geral propostas sobre o funcionamento dos serviços, participar em grupos e/ou comissões de estudo, para proceder à análise de assuntos de relevante interesse para os associados;

§   Promoção dos princípios deontológicos, bem como de actividades cívicas, nomeadamente de dignificação social, cultural e recreativa dos associados;

§   Defender e promover por todos os meios ao seu alcance os interesses colectivos e individuais dos associados, sejam de ordem moral ou sócio-profissionais;

§   Apresentar às entidades e órgãos competentes as iniciativas e sugestões decorrentes das aspirações dos seus membros, mediante propostas aprovadas pela Associação e organizar no âmbito do quadro legal das instituições democráticas e órgãos de tutela, as acções adequadas à realização das suas justas reivindicações;

§   Integrar e/ou ser consultada, quando se criam comissões, grupos de trabalho, ou outros, nos quais se debatem matérias referentes aos associados, quer a nível interno, autárquico ou nacional;

§   Incrementar a valorização profissional e cultural dos associados através de publicação de documentação, seminários, cursos de formação profissional e outras iniciativas, por si ou em colaboração com outros organismos;

§   Criar serviços de assistência médica e social, bem como gerir instituições de carácter social próprias ou gerir e administrar por si ou em colaboração com outras organizações, instituições de Segurança Social;

§   A Associação pode também representar os interesses dos associados no âmbito da cultura, do recreio, do desporto, da saúde, da formação, da solidariedade social, desenvolver actividades nesses aspectos;

§   Apostar fortemente na formação e nos jovens, não esquecendo os elementos pertencentes ao Quadro de Honra;